Menu fechado

Notícias

Luiza Trajano encerra as comemorações do Mês da Mulher da ACRJ

Encerrando as comemorações do Mês da Mulher, a Associação Comercial do Rio de Janeiro realizou, no dia 30 de março, um encontro com a empresária Luiza Helena Trajano no Hotel Fairmont, em Copacabana. Ao falar para uma plateia de cerca de 300 pessoas, a empresária e presidente do Conselho de Administração do Magazine Luiza, abordou temas como violência e discriminação contra mulheres, empreendedorismo feminino e contou um pouco sobre sua trajetória à frente da empresa.

O presidente da ACRJ, José Antonio do Nascimento Brito, disse que o evento surgiu de uma demanda das mulheres da Associação que desejavam comemorar a data. “Ninguém melhor do que Luiza Trajano para que essa comemoração seja completa, é muito bom tê-la aqui conosco”, declarou o presidente.

Entre os convidados, a primeira-dama do Estado do Rio, Analine Castro; a ex-presidente da ACRJ, Angela Costa, primeira mulher a ocupar o cargo em 212 anos; o presidente da Fecomércio, Antonio Florêncio Queiroz; o presidente da Águas do Rio, Alexandre Bianchini; e o presidente da concessionária RIOgaleão, Alexandre Monteiro; entre outros.

Recém-chegada de Dubai, nos Emirados Árabes, Luiza Trajano reforçou a importância de investimentos em turismo como uma das formas de alavancar a economia do país. “Precisamos resgatar o Rio. Não entendo nada de Turismo, sou de varejo, mas em Dubai, o Ministério da Economia é junto com o de Turismo porque eles entendem que este setor aquece a Economia”, contou a empresária.

Luiza falou sobre a crise financeira causada pela pandemia, situação que, segundo ela, só será realmente compreendida por todos daqui a 80 anos, e os programas instituídos por sua companhia para a contratação de mais mulheres e de profissionais negros. Atualmente, mais de 50% dos funcionários da Magalu são pardos ou negros.

A convidada encerrou sua fala destacando alguns pontos negativos no Brasil, como a burocracia que impede o avanço da economia e do empreendedorismo e o que ela chamou de “uma mania que o brasileiro tem de falar mal do próprio país”. “Precisamos parar de falar mal do Brasil e acreditar nele”, concluiu.

Após a palestra, os convidados fizeram perguntas à Luiza Trajano. O vice-presidente do Conselho Superior da ACRJ, Rui Barreto Filho, perguntou à palestrante se faltava espírito público no empresariado brasileiro. “Não falta só espírito público, falta espírito cívico. Ninguém chama para o diálogo. Eu nunca fui preconceituosa, por isso eu sou chamada de esquerda muitas vezes”, disparou Luiza.

O presidente do Conselho Empresarial de Jovens da ACRJ, Pedro Rafael, pediu que Luiza desse uma mensagem aos jovens de empresas juniores que estavam na plateia. “Eu primeiro oriento o jovem empreendedor a trabalhar de empreendedor numa empresa. É preciso ter o outro lado, a não ser que você tenha uma grande ideia, seja um gênio. Mas eu sou muito a favor de trabalhar como funcionário de uma empresa pelo menos por um período. E se organizem, trabalhem junto”, recomentou Luiza.

Ao final, a convidada foi presenteada com uma camisa personalizada do Flamengo. “Estamos agora carimbando definitivamente o passaporte da Luiza [Trajano] como carioca legítima”, disse Nascimento Brito.

A palestra na íntegra está disponível no Canal ACRJ Divulga. Acesse aqui