Menu fechado

Notícias

Geraldo Alckmin é recebido em encontro com empresários na ACRJ

O ex-governador de São Paulo e candidato a vice-presidente na chapa do PT, Geraldo Alckmin, foi recebido, dia 20 de setembro pelo presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, José Antonio do Nascimento Brito, e o presidente do Conselho Superior da ACRJ, Marco Polo Moreira Leite, para um encontro com empresários. Também participaram do encontro, o candidato ao Senado, André Ceciliano; o vice-presidente da Firjan, Carlos Erane; e o vice-presidente da ACRJ, Hélio Paulo Ferraz, além de membros da diretora da Casa de Mauá, políticos, empresários e dirigentes de entidades do setor produtivo.

Ao abrir a reunião, o presidente da ACRJ destacou que esta “é uma oportunidade única para discutir com o candidato os desafios que afligem o Brasil e, em especial, o estado do Rio de Janeiro”. Ele ressaltou que o Brasil vive um momento difícil, de grande ansiedade sobre o futuro. “E nós aqui no estado do Rio também. É bom que se diga que a presença federal no nosso estado é muito importante; temos aqui sedes de empresas estatais, agências reguladoras, instituições federais de renome. É um local que merece uma atenção especial do Governo Federal. Estamos à disposição para construir uma agenda para promover o crescimento”, afirmou.

Na pauta, Alckmin destacou as reformas que o Brasil precisa para promover e consolidar um crescimento sustentável. “O Brasil pode crescer, voltar a ter emprego, gerar renda e melhorar a vida das pessoas, com um crescimento inclusivo e sustentável”.  Segundo ele, o primeiro passo para garantir uma agenda de competitividade é acabar com a complexidade tributária existente no país. “Temos que começar pela simplificação tributária, fazendo uma transição gradual da origem para o destino, com uma alocação de investimentos muito mais lógica. É o que mundo todo já fez. Não podemos mais ser conhecidos como o país dos impostos”, afirmou.

Ele também mencionou outros pontos do programa da candidatura petista, como a desburocratização, a digitalização, os acordos internacionais, os custos de capital e a questão ambiental, entre outros. Afirmou que investimentos em infraestrutura e logística vão ajudar a alavancar o país. “Vejo uma grande oportunidade. Há muita liquidez no mundo e o Brasil tem tamanho, tem escala, tem mercado consumidor interno, indústria diversificada, agronegócio, petróleo, pré-sal”, ressaltou.

E encerrou dizendo que é preciso “consolidar a democracia e promover a paz para que o Brasil se torne um país mais inclusivo”.

O presidente José Antonio agradeceu a presença do convidado e destacou a importância do encontro.  “Foi uma conversa muito produtiva, o empresariado aqui presente colocou questões importantes para o candidato e ouviu as propostas de sua chapa para resolver os problemas que impactam o setor produtivo, como a alta carga tributária, por exemplo. O Brasil precisa ser simplificado”, completou.