Menu fechado

Artigos

Exigência de visto afasta turistas do Brasil

Exigência de visto afasta turistas do Brasil

Por Carlos Werneck – membro do Conselho Empresarial do Ecossistema do Turismo da ACRJ

Cidadãos dos Eua, Canadá e Austrália enfrentam dificuldades na emissão do documento e Brasil perde competitividade

Mil passageiros de um navio fretado no Canadá com previsão de chegada ao Brasil no dia 11 de janeiro estão com suas férias ameaçadas em razão de dificuldades para emissão do visto brasileiro. Na mesma situação encontram-se turistas australianos e estadunidenses. Os três países tiveram revogada a autorização concedida pelo governo federal em 2019 para entrada e permanência no Brasil sem a exigência do visto.

Prevista para entrar em vigor no próximo 10 de janeiro, a medida que traz de volta a obrigatoriedade da emissão do visto veio acompanhada de uma plataforma que promete um processo 100% digital. No entanto, turistas dos três países têm enfrentado dificuldades para a emissão online, tanto de ordem tecnológica quanto burocrática.

A retirada da exigência do visto para esses países em 2019 representou um diferencial competitivo relevante para a conversão de negócios e oportunidades com a escolha do Brasil por empresas dos mais diversos segmentos para a realização de seus negócios. Só nos primeiros dez meses de 2023, os Estados Unidos enviaram cerca de 530 mil turistas ao Brasil, ocupando a segunda posição no ranking do total de viajantes que desembarcaram no país. No mesmo período, 66 mil canadenses e 38 mil australianos estiveram por aqui.

Assim como o Visit Rio Convention Bureau, diversas entidades do trade turístico consideram a volta da obrigatoriedade do visto para EUA, Canadá e Austrália uma ameaça à retomada do setor, que, pela primeira vez após o período pandêmico, demonstrou um reaquecimento importante este ano.

Um dos argumentos usados pelo atual governo para justificar a decisão pela volta da exigência, o da regra da reciprocidade entre os países, não se sustenta, uma vez que não é possível comparar a demanda do Brasil como destino turístico à dos países em questão. Seja como destino de férias ou de negócios, perdemos em grande escala para um país como Estados Unidos, por exemplo, sendo este um dos destinos mais desejados pelos brasileiros, quando não se pode dizer o mesmo em relação ao nosso país. Outro argumento do governo, sobre os resultados advindos da retirada da exigência do visto em 2019 não terem sido suficientes para a manutenção do benefício, não considera justamente a pandemia de Covid-19, que impediu que os números se consolidassem.

Promover uma efetiva política de isenção de vistos com foco no turismo pode representar uma oportunidade de crescimento e geração de empregos para destinos ao redor do mundo e para o Brasil em especial, dada a riqueza de seu turismo e o potencial de ampla expansão que permanece latente no pós-pandemia.

Carlos Werneck é vice-presidente da ACRJ e presidente-executivo do Visit Rio Convention Bureau

Artigo publicado originalmente no Jornal O Globo